segunda-feira, 2 de maio de 2011

CAP. I: INTRODUÇÃO AOS EVANGELHOS



















Evangelho:

Definição: A palavra evangelho deriva
do grego, é formada pela união de dois termos:
“ευ” = Eu, que quer dizer boa
“αγγέλιοv” = anguelion, que
significa mensagem, notícia, boa nova.

Então podemos definir a palavra
Evangelho como: Boas novas, boas notícias.





Como estudar os Evangelhos:

Podemos estudar os Evangelhos de
duas formas: Sistemática e cronológica.

1ª) Sistemática: Colocando as doutrinas bíblicas em um sistema ordenado, catalogadas de forma coerente para que se possa compreender melhor.

2ª) Cronológica: Colocando os acontecimentos na ordem em que ocorreram os fatos.




Evangelhos Sinópticos:

Esse termo é derivado do grego, e quer
dizer “visão conjunta”. Ele é atribuído ao
conjunto dos 3 primeiros Evangelhos:
Mateus, Marcos e Lucas, justamente,
porque nestes livros há uma semelhança,
ou uma visão conjunta sobre os
fatos históricos.

“συν” syn = com, conjunto;
“οπτικός” ópticos = visão.


Evangelhos Sinópticos:

O Evangelho de João não faz parte
dos sinópticos, porque sua abordagem
sobre Jesus é dentro de um ponto de
vista divino.

João dá mais ênfase ao Jesus divino que
ao Jesus histórico, como fazem os sinópticos.

Quando buscamos as informações
contidas nos 3 Evangelhos
sinópticos, passamos a ter uma visão
maior da situação de acordo com todos
pontos de vista.


Evangelhos Sinópticos:

A questão sinótica foi observada inicialmente por Agostinho de Hipona no século IV, porém, o primeiro a usar esse termo foi Griesbach em 1774 d.C.

Após muitas pesquisas, surgiram várias teorias para tentar explicar o processo de composição dos sinóticos e suas principais fontes. A teoria mais aceita hoje em dia é a “Teoria dos Quatro Documentos”.


Teoria dos Quatro Documentos:
Protomarcos, Fonte “Q”, Fonte “M”, Fonte ”L”.

Até hoje a teoria mais aceita em relação as fontes utilizadas na composição dos Evangelhos Sinópticos.

Em 1901 o teólogo Alemão Bernard Weiss, denominou de “Q” ou “Quelle” (fonte em alemão), para explicar de onde Mateus e Lucas retiraram seu material em comum que não se encontra em Marcos; Enquanto que houve um “protomarcos” (provavelmente de relatos de Pedro) como fonte para Marcos; e ainda a fonte “M” para aquilo que somente há em Mateus, e “L” para o que somente se encontra em Lucas. Foi no livro “Os Quatro Evangelhos” lançado em 1924, que o autor propôs essa teoria.

Esquema elaborado para a Teoria dos Quatro Documentos:  Protomarcos, Fonte “Q”, Fonte “M”, Fonte ”L”.


O Evangelho e seus autores:

Os Evangelhos foram escritos pelos próprios discípulos de Jesus;

Os nomes dos Evangelhos estão relacionados aos nomes de seus escritores;

Dos 4 Evangelistas, apenas dois tiveram contato direto com Jesus:
Mateus (Mt. 9.9) e João (Jo. 21.20-25)


O Evangelho e seus autores:

Lucas aparece depois, junto ao apóstolo Paulo numa viagem missionária. (Cl. 4.14);

Marcos, segundo alguns estudiosos, acreditam que ele teria sido aquele moço que correra envolto numa toalha na noite que Jesus foi traído. (Mc. 14.50-52);

O mais importante, é que os escritos de Lucas e Marcos não perderam sua credibilidade, inclusive desde muito cedo, eles foram aceitos pela igreja primitiva como “inspirados pelo Espírito Santo”. (II Tm 3.16-17)



§
Evangelho: 
§Escritos para toda a humanidade;
§Anuncia as Boas Novas de Cristo;
§Seu conteúdo é mais histórico.
§
§

Epístola:
§Escritas para igrejas e indivíduos;
§Apresentam soluções de problemas, ou respostas à dúvidas doutrinárias das primeiras comunidades cristãs;
§Seu conteúdo é mais doutrinário.


Os evangelhos e a visão de Ezequiel:

“E a semelhança dos seus rostos era como o rosto do homem; e à mão direita todos os quatro tinham rosto de leão, e à mão esquerda todos os quatro tinham rosto de boi; e também rosto de águia todos os quatro.” (Ez. 1.10)

Mateus = Leão
Marcos = Boi
Lucas = Homem
João = Águia


Quadro comparativo relacionado com a visão  
dos rostos descrita pelo profeta Ezequiel (Ez. 1.10)


Conclusão sobre os Evangelhos:

Encontramos vários estilos dentro dos Evangelhos: histórico, doutrinário e biográfico. São na realidade um resumo da vida e trajetória de Jesus, possuindo um teor mais histórico que doutrinário.

O fundamento maior dos Evangelhos, é o testemunho através da história sobre a vida e a trajetória de Jesus Cristo, para testificar e afirmar nossa crença Nele.



2 comentários:

  1. Glória à Deus por excelente texto.Deus o abençoe cada dia mais amado irmão fica na paz

    ResponderExcluir
  2. Muito bom a organização do estudo...estou aproveitando sua direção para ensinar outros. Deus te abençoe!!!!!

    ResponderExcluir