sexta-feira, 25 de março de 2011

SEGUNDA VIAGEM MISSIONÁRIA DE PAULO














A Segunda Viagem Missionária de Paulo ( parte 1)
(Atos 15.36 – 16.40)

Anos:  50 a 52 d.C.

Equipe: Paulo e Silas

O apóstolo Paulo e Barnabé começam novas viagens separadamente (15.36-41).

Paulo e Barnabé não concordaram sobre João Marcos (15.36-39).

Barnabé quis levar Marcos, mas Paulo não confiou nele porque este os tinha abandonado na primeira viagem na Panfília (veja 13.13).

Barnabé levou consigo a Marcos e navegou para Chipre.

Paulo levou consigo a Silas e foi, por terra, para as regiões que eles tinham visitado na primeira viagem (15.40-41).

Timóteo acompanha Paulo e Silas (16.1-5)

Paulo e Silas passaram por Derbe e Listra, onde encontraram um discípulo chamado Timóteo (16.1-2).

A mãe dele era uma judia cristã e o pai grego (16.1).

Ele tinha uma boa reputação entre os cristãos da região (16.2).

Quando Paulo decidiu levar consigo a Timóteo, ele foi circuncidado para não impedir o trabalho entre os judeus (16.3).

Paulo e seus companheiros comunicaram às igrejas as decisões dos irmãos em Jerusalém a respeito de circuncisão, etc. (16.4-5).

Paulo é chamado à Macedônia (16.6-10)

Paulo e seus companheiros passaram pelas regiões de Frígia e Mísia e chegaram a Trôade, sendo guiados pelo Espírito Santo (16.6-8).

Numa visão, Paulo viu um homem que o convidou à Macedônia (16.9-10).

Paulo e seus companheiros pregam em Filipos 
(16.11-40).

Lídia se converteu quando ouviu o evangelho em Filipos, uma cidade da Macedônia (16.11-15).

Paulo expulsou o espírito adivinhador de uma jovem 
(16.16-18).

As pessoas que tinham lucrado por causa das "profecias" dela levaram Paulo e Silas às autoridades, que os açoitaram e os lançaram no cárcere (16.19-24).

Um terremoto os livrou da prisão, e o carcereiro tentou se suicidar (16.25-27).

Paulo impediu que ele cometesse suicídio, e o homem perguntou: "Senhores, que devo fazer para que seja salvo?" (16.28-30).

Paulo disse que ele precisava crer em Jesus, e então pregou a ele e a sua família sobre Jesus (16.31-32).

O carcereiro e sua família foram batizados na mesma hora da noite e regozijaram-se em Cristo (16.33-34).

No dia seguinte, Paulo insistiu que os próprios pretores os livrassem, assim relembrando estes oficiais do governo quanto a seus direitos de acordo com a lei (16.35-39).

Paulo e Silas foram para a casa de Lídia para confortar os irmãos antes de deixar Filipos (16.40).

A Segunda Viagem Missionária de Paulo ( parte 2)
(Atos 17.1-34)

Paulo e Silas pregam em Tessalônica (17.1-9).

Paulo e seus companheiros passaram por Anfípolis e Apolônia antes de chegarem em Tessalônica (17.1).

Paulo começou a ensinar numa sinagoga sobre Jesus, sua morte e ressurreição (17.1-3).

Alguns judeus, muitos gregos e muitas mulheres foram convencidos pela pregação de Paulo (17.4).

Um grupo de judeus agitou o povo e tentou prender Paulo e seus colegas (17.5).

Quando não acharam estes homens, os judeus prenderam Jasom e alguns outros irmãos, dizendo que eles:

Tinham transtornado o mundo com sua doutrina (17.6).

Violaram os decretos de César com as afirmações de que Jesus era outro rei (17.7).

Jasom e os outros foram soltos depois de pagar fiança, mas o povo ficou agitado por causa das acusações feitas contra estes discípulos (17.8-9). 

Esta reação do povo contra Paulo impediu a continuação de seu trabalho em Tessalônica, e ele foi para outros lugares, deixando que os recém-convertidos continuassem o trabalho 
(veja 1 Tessalonicenses 1.5-8).

Paulo, Silas e Timóteo vão para Beréia (17.10-15).

Os irmãos de Tessalônica enviaram Paulo e Silas para Beréia, onde o povo examinou as Escrituras para confirmar se a palavra era verdadeira (17.10-11).

Muitas pessoas em Beréia creram (17.12).

Quando os perseguidores de Tessalônica chegaram, Paulo foi para Atenas, deixando Silas e Timóteo em Beréia (17.13-15).

Paulo prega a palavra em Atenas (17.16-34).

Paulo se revoltou em face à idolatria em Atenas, e ensinou na sinagoga (17.16-17).

Alguns filósofos levaram Paulo ao Areópago e o questionaram sobre sua nova doutrina (17.18-21).

Paulo começou com a idolatria dos atenienses e pregou sobre o Deus verdadeiro (17.22-31).

Ele utilizou o altar dedicado "Ao Deus Desconhecido" para mostrar que a religião deles era inadequada 
(17.22-23).

O Deus que eles não conheciam é o único verdadeiro Deus, o Criador de tudo (17.24).

Este Deus não precisa do serviço humano, porque ele é o Criador e Sustentador da vida (17.24-26).

O homem tem a obrigação de buscar a Deus (17.27-28).

Deus tem tolerado, no passado, ignorâncias como a idolatria, mas agora exige o arrependimento de todos os homens (17.29-30).

Deus vai julgar o mundo com justiça através de Jesus Cristo (17.31).

A multidão se dividiu na sua reação à pregação de Paulo (17.32-34).

Alguns zombaram, porém outros consideraram as palavras de Paulo e creram em Jesus.

A Segunda Viagem Missionária de Paulo ( parte 3)
(Atos 18.1-22)

Paulo vai para Corinto e encontra Áquila e Priscila 
(18.1-4).

Paulo saiu de Atenas e foi até Corinto (18.1).

Lá, Paulo encontrou Áquila e Priscila, que eram construtores de tendas, e ele morou e trabalhou com eles (18.2-3).

Paulo entrou todos os sábados na sinagoga e convenceu muitos judeus sobre a verdade referente a Jesus (18.4).

Silas e Timóteo chegam a Corinto e ajudam Paulo no trabalho (18.5-11).

Quando os judeus rejeitaram sua mensagem sobre o Cristo, ele saiu da sinagoga e disse que pregaria aos gentios (18.6).

Ele entrou na casa de Tício Justo. Crispo, o principal da sinagoga, e sua família, foram convertidos (18.7-8).

Numa visão, Deus falou com Paulo, dizendo que ele não deveria desistir do trabalho em Corinto (18.9-10).

Paulo ficou 18 meses em Corinto pregando a palavra (18.11).

Gálio recusa ouvir as acusações dos Judeus contra Paulo (18.12-17).

Alguns judeus levaram Paulo ao procônsul, Gálio, dizendo que a pregação dele foi contra a lei de Deus (18.12-13).

Gálio recusou envolver-se no conflito dos judeus sobre suas leis, e os expulsou do tribunal (18.14-16).

Sóstenes, o principal da sinagoga, foi espancado diante do tribunal (18.17).

Paulo completa a viagem e volta a Antioquia (18.18-22).

Paulo ficou ainda muito tempo em Corinto, e depois começou a voltar para Antioquia da Síria (18.18).

Priscila e Áquila o acompanharam até Éfeso, onde Paulo não permaneceu muito tempo (18.18-21).

Os efésios pediram que Paulo permanecesse mais tempo com eles, mas ele não ficou. Prometeu voltar, se Deus quisesse.

Ele passou por Cesaréia e Jerusalém antes de completar a viagem onde a tinha iniciado, em Antioquia da Síria (18.22).


2ª VIAGEM MISSIONÁRIA DO APÓSTOLO PAULO
Sai da Antioquia da Síria a Listra;
de Listra a Trôade;
de Trôade a Filipos;
de Filipos a Tessalônica;
de Tessalônica a Beréia;
de Beréia a Atenas;
de Atenas a Corinto;
de Corinto a Éfeso;
de Éfeso a Jerusalém;
de Jerusalém a Antioquia.

Um comentário:

  1. Fantástico!! Um belo resumo,mas muito esclarecedor. Obrigada. Rita Mansur. Ovelha do Pastor Purin,Igreja Batista do Méier.

    ResponderExcluir